Firmes

Esta semana li o excelente livro “Firmes”, publicado pela Editora Fiel. O famoso e amado John Piper é o editor do livro, juntamente com Justin Taylor.


O livro aborda o assunto da perseverança dos cristãos na fé, indicado no sub-título: “Um chamado à perseverança dos santos”.  “Perseverança dos santos” é um dos chamados cinco pontos do calvinismo, e este livro faz uma bela contribuição ao resgate da fé bíblica no Brasil, visto que uma das calúnias mais comuns lançadas contra o calvinismo é que essa é uma doutrina que leva à licenciosidade. Nada poderia estar mais longe da verdade! “Firmes” constitui um excelente testemunho da visão calvinista, ou melhor, da visão bíblica sobre o assunto: a perseverança na fé é necessária e obrigatória!


Na verdade, todos os cristãos, quer calvinistas ou arminianos, sustentam que o cristão deve perseverar na fé. A diferença (fundamental!) é que os calvinistas, expressando corretamente o ensino bíblico, afirmam que todos os verdadeiros cristãos perseveram na fé, e isso porque Deus é quem os preserva. E esse é um ponto continuamente enfatizado no livro de Piper e Taylor. Não completamos bem a nossa carreira devido às nossas obras ou desempenho, mas é o Deus Trino quem nos faz perseverar no amor e na santidade ao longo da nossa caminhada. A obra é dele. A nossa vida de santidade e perseverança é resultado da sua obra em nós.


Os textos que compõem o livro não tratam da perseverança na santidade a partir de uma única perspectiva. O excelente capítulo de John MacArthur, por exemplo, lida com a perseverança e as certezas necessárias para se ter um ministério duradouro. Ao contrário do que muitos parecem pensar, perseverar na santidade envolve também perseverar em ser fiel à Palavra de Deus em nossa pregação, algo que MacArthur enfatiza continuamente. Não se trata de um pecado de menor proporção. Além do pecado em si da perversão das Escrituras, algo já excessivamente terrível, tal pecado pode conduzir as demais pessoas a outros tantos pecados. Por exemplo, alguém que converte a graça de Deus em dissolução nas suas pregações, pode levar os seus ouvintes a viverem em licenciosidade, quer no trabalho, no casamento ou em outras esferas de sua vida.


Randy Alcorn, por sua vez, gasta a primeira metade do seu texto contando o belo testemunho sobre como ele e a sua família lutaram na causa contra o aborto. Após isso, Randy fornece conselhos preciosos para hábitos e decisões que nos ajudarão a perseverar até o fim.


Além dos contribuintes já mencionados, o livro contém um capítulo de Jerry Bridges e outro de Helen Roseveare. Os dois “capítulos” finais do livro são entrevistas com os autores: o segundo com MacArthur e Piper, e o primeiro com todos os outros.  Aqueles que, como eu, admiram John MacArthur, se deleitarão em conhecer mais um pouco sobre esse grande homem de Deus através dessa pequena entrevista.


Recomendo o livro sem reservas, que pode ser adquirido com um bom desconto na Livraria Erdos.

%d blogueiros gostam disto: